Multiculturalidade e interseccionalidade nas terapias comportamentais contextuais

Autores

  • Larissa Gross Furini
  • Gabriela Alsina Henzel
  • Sara Adaís Ávila Silva Müller
  • Jonatas Argemi Foster Passos

DOI:

https://doi.org/10.18761/vecc291122

Palavras-chave:

psicoterapia analítica funcional, multiculturalidade, lugar de fala, competência cultural, ADDRESSING

Resumo

As pesquisas em psicologia têm se mostrado limitadas quanto ao público que representam em relação aos pesquisadores e aos pesquisados, o que pode produzir problemáticas consequências no trabalho com indivíduos e grupos multiculturais. Este trabalho teve como objetivo revisar na literatura possíveis interfaces do trabalho clínico voltado para populações multiculturais, principalmente no que diz respeito a grupos historicamente oprimidos, e propor uma ampliação do olhar do terapeuta no contexto das Terapias Comportamentais Contextuais, especificamente a Psicoterapia Analítica Funcional (FAP) por sua característica interpessoal que leva em conta tanto o comportar-se de clientes quanto do próprio terapeuta. Para tanto é realizada uma análise do conceito de lugar de fala da díade terapêutica, levando em consideração o modelo de competência cultural ADDRESSING, o qual apresenta dimensões associadas a identidades culturais específicas interseccionais relevantes para o trabalho com a multiculturalidade. O trabalho apresenta uma proposta de um novo olhar para uma formulação de caso, para que se possa levar em conta as diferentes culturas nas quais os clientes e terapeutas estão inseridos e, fundamentalmente, melhorar o atendimento em saúde mental de populações historicamente oprimidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-04-12

Como Citar

Furini, L. G., Henzel, G. A. ., Müller, S. A. Ávila S. ., & Passos, J. A. F. . (2023). Multiculturalidade e interseccionalidade nas terapias comportamentais contextuais. Perspectivas Em Análise Do Comportamento, 138–153. https://doi.org/10.18761/vecc291122