O conceito de responsividade na Terapia Analítico Comportamental e suas implicações para a pesquisa de processo-resultado

  • Priscila Ferreira de Carvalho Kanamota
  • Ana Carmen F. Oliveira
  • Walquiria Lino da Silva Morais
  • Denis Roberto Zamignani
  • Roberta Bianca Marcelino de Almeida
  • Anna Carolina Ramos
  • Ananda Pantet
  • Aline David de Oliveira
  • Lucas Murta de Andrade
  • Natasha Hayamizu
  • Bernardo Dutra Rodrigues
Palavras-chave: responsividade, análise do comportamento, spciterapia analítico-comportamental, pesquisa em psicoterapia

Resumo

 

A clínica psicoterápica apresenta diversas demandas ao terapeuta, que vão desde as questões teóricas, relacionadas à abordagem adotada pelo profissional, até aquelas relacionadas ao cliente – suas características pessoais, demandas clínicas, expectativas com relação ao tratamento etc. Identificar como e quando responder a todas essas demandas é um desafio para o psicólogo, que deve ser responsivo às diferentes necessidades do caso clínico, visando a melhora do cliente. O presente artigo tem como objetivo conceituar o termo responsividade com base na visão analítico-comportamental e apresentar alguns aspectos relevantes para a sua consideração na produção de pesquisas no contexto clínico. Para isso, é apresentada a origem do termo, as definições do conceito de acordo com diferentes abordagens teóricas, o entendimento do conceito com base na perspectiva analítico-comportamental e sua importância para a pesquisa em psicoterapia.

Publicado
2019-08-01
Como Citar
Kanamota, P., Oliveira, A., Morais, W., Zamignani, D., de Almeida, R., Ramos, A. C., Pantet, A., de Oliveira, A. D., de Andrade, L. M., Hayamizu, N., & Rodrigues, B. (2019). O conceito de responsividade na Terapia Analítico Comportamental e suas implicações para a pesquisa de processo-resultado. Perspectivas Em Análise Do Comportamento, 10(1), 114-128. https://doi.org/10.18761/PAC.TAC.2019.016