Variáveis que devem ser consideradas na avaliação da qualidade do relacionamento conjugal

  • Nicolau Kuckartz Pergher Universidade Presbiteriana Mackenzie (MACK)

Resumo

Clientes frequentemente procuram auxílio terapêutico com dúvidas, insatisfações e conflitos ligados a aspectos que envolvem relacionamentos afetivo-conjugais. No presente artigo, foram enumeradas variáveis que merecem serem investigadas na avaliação da qualidade de relacionamentos conjugais. As variáveis listadas e discutidas foram: (1) os motivos do início do relacionamento; (2) o histórico de relacionamentos de cada membro do casal; (3) a forma de divisão financeira; (4) as diferenças de idade entre os cônjuges e das culturas nas quais estiveram inseridos; (5) o grau de intimidade do casal; (6) as práticas sexuais; (7) os padrões de interação entre os cônjuges; (8) a existência de outras fontes de reforçamento fora do casamento; (9) o impacto das traições; (10) os efeitos da ocorrência de doenças em um dos cônjuges; (11) as decisões relacionadas aos filhos; (12) os planos de vida traçados pelo casal e (13) os aspectos relacionados à separação. As análises realizadas podem servir como material complementar para terapeutas que atendem clientes com queixas ligadas ao relacionamento conjugal, assim como podem funcionar como gerador de outras considerações teóricas e de pesquisas sobre o tema. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-08-23
Como Citar
Pergher, N. K. (2017). Variáveis que devem ser consideradas na avaliação da qualidade do relacionamento conjugal. Perspectivas Em Análise Do Comportamento, 1(2), 116-129. https://doi.org/10.18761/perspectivas.v1i2.37
Seção
Artigos